terça-feira, 25 de julho de 2017

25 de Julho - Dia do Colono e Motorista



Parabéns aos Colonos e Motoristas, da lide agropecuária, que faça chuva ou faça sol, com o suor de seu trabalho promovem o desenvolvimento rural deste país! 🚜 🍏 🌱

👉 Uma homenagem do Blog Ezequiel Redin Online



terça-feira, 18 de julho de 2017

Nova edição do Periódico Extensão Rural (Santa Maria) - 2017-2



Por ─ €zeqµiel ®edin

👉 O periódico Extensão Rural da Universidade Federal de Santa Maria está fazendo história. Ao longo dos seus 24 anos de publicações científicas, podemos afirmar que estamos em um momento ímpar da nossa trajetória, comemorando um grande salto nos indicadores de qualidade da revista. Isso tudo, somente, é possível porque contamos com uma rede de colaboradores no Brasil e no exterior que engrandecem cada vez mais nossas publicações.

Para nós, a expressão do nosso agradecimento à comunidade científica se traduz na palavra: GRATIDÃO! A equipe do periódico Extensão Rural é grata a cada um de vocês que acredita no potencial de nosso trabalho e da nossa seriedade enquanto publicação científica no Brasil.

Também cabe ressaltar o destaque a todos os indexadores que acreditam efusivamente em nosso trabalho. Estes são responsáveis por alavancar nossa qualidade. Em 2017 atingimos 17 indexadores e 17 áreas científicas avaliadas no QUALIS CAPES. Para nós, isso é uma recompensa e um reconhecimento pelo nosso trabalho árduo, às vezes, diante de inúmeras dificuldades financeiras. A nossa consolidação e crescimento passa por toda essa rede de pesquisa. O nosso muito obrigado! 


💻 Em 2017 entregamos à comunidade científica o nosso segundo número da Extensão Rural. Apesar das dificuldades que passamos em 2016 e que se perpetua em 2017, isso não nos impediu de avançar em nossa consolidação e crescimento no âmbito das publicações científicas no Brasil e fora dele. Em nossa rede social, escrevemos: “Somos a publicação científica, referência no Brasil, nos estudos de extensão rural e desenvolvimento”. No entanto, somos eternos insatisfeitos, porque essa inquietação gera uma energia que nos moverá para alçar voos mais altos.

📌 Nesse contexto crescente de qualidade, se reproduz na avaliação dos artigos recebidos, no qual passamos a valorizar cada vez mais aqueles que apresentam caráter mais profundo em suas análises. O investimento analítico deve ser substantivo, construído em sólidas bases teórico-metodológicas e trazendo contribuições novas ao conhecimento nas áreas que se propõem.

📚 É com esse pensamento que entregamos esse número com sete artigos. Consolida a qualidade deste número, reflexões sobre as condições históricas e estruturais da produção rural no Brasil; a construção social da juventude rural moderna a partir de uma experiência pioneira de crédito agrícola e a análise da trajetória de mobilização, engajamento e articulação das mulheres agricultoras rurais. A edição conta com um debate muito contemporâneo que trata de um estudo comparativo do Código Florestal e também sobre as licenças ambientais na suinocultura. Além disso, nosso número apresenta e discute os resultados da análise de viabilidade econômica da produção familiar de alimentos, inserida na feira livre e nos mercados institucionais; além de investigar os limites do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), temas recorrentes e marcantes em nossas últimas edições publicadas.

➡ Para não nos alongarmos na apresentação, desejamos a todos uma boa leitura e grandes reflexões para futuras pesquisas! 🎉

📖 Em 2017 são quatro edições para comemorar vinte quatro anos de publicações científicas. Faça parte desta história. Envie sua contribuição científica. Acesse nosso portal: http://dx.doi.org/10.5902/23181796 

O Periódico Extensão Rural (Santa Maria) agradece a todos os autores, pareceristas, leitores e parceiros que contribuem inestimavelmente para a qualidade de nossa publicação científica.

📖 Extensão Rural (Santa Maria) – um periódico científico do Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural (DEAER) do Centro de Ciências Rurais (CCR) da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM).


Sumário
Fernando Cardoso Pedrão

Joel Orlando Bevilaqua Marin

Cristiana Rodrigues Carvalho, Maria Aparecida Tenório Salvador Costa

Carla Talita Pertille, Charles Costa Coelho, Dionatan Gerber, Álvaro Boson de Castro Faria, Eleandro José Brun

Helena Botelho de Andrade, Luiz Otávio Moras Filho, Luís Antônio Coimbra Borges

Caio César Soares Biancardi, Rafael Rodrigues, Haloysio Mechelli de Siqueira, Joana Junqueira Carneiro, Maria Aparecida Fernandes

André de Camargo Macedo, Bruna Carolina Meira, Edmilson Carlos de Almeida Lopes Junior, João Paulo Agápto, Ricardo Serra Borsatto

👉 Acesse o Perfil no Facebook aqui
👉 Página no Facebook aqui:

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Produção de Café em grão no Brasil

Conforme informações do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2017, estima-se uma produção de 6,4 milhões de sacas de 60 kg de Café em Grão no Brasil.

Os dados referem-se a estimativa da safra do mês de abril de 2017.




Referência
INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE. Levantamento sistemático da produção agrícola: pesquisa mensal de previsão e acompanhamento das safras agrícolas no ano civil. Rio de Janeiro: Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, abr. 2017.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Canguçu é o maior produtor de fumo em folha no Estado do Rio Grande do Sul




👉 Em 2015, o município de Canguçu produziu 24.200 toneladas de tabaco, sendo considerado o maior produtor de fumo em folha no estado do Rio Grande do Sul. Em segundo lugar, destaca-se o município de Venâncio Aires que produziu 23.460 toneladas, seguido de São Lourenço do Sul com 22.000 toneladas produzidas de fumo em folha em 2015, conforme dados da Fundação de Economia e Estatística (FEE DADOS).

A seguir, os dez maiores produtores de fumo em folha no estado do Rio Grande do Sul em 2015. 
Ranking
Município – Rio Grande do Sul
Quantidade produzida (ton) – 2015
1
    Canguçu
24.200
2
    Venâncio Aires
23.460
3
    São Lourenço do Sul
22.000
4
    Camaquã
20.700
5
    Candelária
15.651
6
    Dom Feliciano
14.000
7
    Santa Cruz do Sul
13.507
8
    Vale do Sol
13.230
9
    Arroio do Tigre
12.600
10
    Vera Cruz
10.340
Fonte: Elaborado pelo autor com base na FEE DADOS – 2015.

Os municípios de Camaquã e Candelária ocupam a quarta e quinta posição, respectivamente, com 20.700 e 15.651 toneladas produzidas em ambos locais. A quantidade produzida total no estado do Rio Grande do Sul foi 414.932 toneladas na safra de 2015. A fumicultura é uma estratégia de renda em boa parte das unidades de produção familiares do estado, em especial, em regiões íngremes e com topografia declivosa.

O município de Arroio do Tigre ocupa a 9ª posição em produção de fumo no estado com 12.600 toneladas em 2015, e também é considerado o maior produtor sul-brasileiro de tabaco tipo Burley. Há, no Brasil, uma força tarefa do Programa Nacional de Diversificação em Áreas Cultivadas com Tabaco com objetivo de diversificar a renda nas propriedades rurais, em especial, àquelas com a produção de fumo. Para saber mais sobre o assunto, em nossa seção “Artigos”, temos uma larga pesquisa sobre a temática das famílias rurais que produzem fumo no país. 
Esse texto possui direitos autorais.
Copyright © Ezequiel Redin
Para baixar esse texto em formato PDF clique aqui!


Referência 
FEE. FUNDAÇÃO DE ECONOMIA E ESTATÍSTICA. Agricultura – culturas temporárias – fumo – quantidade produzida. Porto Alegre: FEE DADOS, 2015. Disponível em: . Acesso em: 16 jun. 2017.